Tive o privilégio de visitar a Costa Amalfitana duas vezes ao longo da minha vida e, confesso, não vejo a hora de voltar!

A primeira vez foi em 2012, no final do verão. E a segunda, no inverno de 2016. Cenários totalmente diferentes, mas o encantamento, exatamente o mesmo.

A Costa Amalfitana é um trecho de 50 quilômetros do litoral sul da Península Sorrentina. É destino popular nas férias de verão dos italianos e demais europeus. Na verdade, a região é amada por quem quer que a visite.

A costa é repleta de penhascos e bastante acidentada e nessa topografia se destacam as vilas e pequenas praias. A estrada sinuosa que costeia o trecho entre a cidade de Salerno a Sorrento é um show a parte, quer pela vista que proporciona do mar Tirreno, quer pelos vinhedos e pomares de limão Siciliano debruçados pelo caminho. Por isso, a primeira dica para quem deseja visitar a região é: vá de carro para não perder a emoção de toda a vista e a adrenalina de dirigir pelas incontáveis curvas da encosta.

 

Para se hospedar, eleja uma das principais cidadezinhas da costa: Positano, Maiori, Amalfi ou Sorrento.

Nós ficamos em Maiori que possui a maior praia da região e onde fica a famosa Grotta Sulfurea, cujas águas ricas em enxofre e magnésio são ideiais para um banho relaxante. O vilarejo é o destino preferido das famílias com crianças, justamente pela extensão da praia e do calçadão. Não perca os saborosos frutos do mar do Restaurante La Vela!

Positano é outro espetáculo! É aqui que tem início o Sentiero degli Dei ou Trilha dos Deuses, que proporciona as vistas mais espetaculares da costa. A Praia Grande é a grande atração dessa vila de pescadores que acolhe artistas, escritores, intelectuais e o pessoal do jet-set internacional.

Amalfi também é um elegante balneário, mas o orgulho local fica por conta da catedral que ostenta o Duomo di Sant’Andrea, do século 9, que combina  elementos romanescos, bizantinos, góticos, barrocos e árabe-normandos, com uma escadaria monumental e fachada em preto e branco. O lugarejo também abriga o Museu do Papel, que ainda hoje preserva antigas máquinas. A cidadezinha, além de destino de verão é, também, recomendada como destino para gourmets e gourmands. Segundo o povo local foi em Amalfi que o canelone foi inventado. Não duvido!

Foi em Amalfi que alugamos uma pequena lancha e nos aventuramos na exploração de toda a costa. Descobrimos cavernas, grutas, pequeníssimas praias. Cardumes e um exibido peixe-espada foram nossos companheiros de navegação. Sem dúvida, um dos dias mais felizes e inesquecíveis da minha vida!

Sorrento se tornou famosa nas palavras dos poetas, na literatura, na história, no cinema e na música. Está situada no topo de uma falésia, voltada para a baía de Nápoles. Sem dúvida, é uma cidadezinha que vale a pena conhecer com calma, passeando pelas vielas do centro histórico, tomando um café sentado em um dos animados bares da Piazza Tasso, parando para admirar o pôr do sol.

Aliás, falando em pôr do sol, você pode assisti-lo de um dos inúmeros penhascos da cidade ou do icônico Hotel Mediterrâneo, saboreando uma taça de prosecco. Dali é possível avistar o monumental vulcão Vesúvio. E Pompeia, também imperdível, está a apenas 30 quilômetros de distância de Sorrento.

Além das ruelas lotadas de lojinhas e produtos de artesanato você também poderá admirar a Catedral e a Basílica de Sant'Antonino, palácios históricos da época Medieval e os restos dos antigos muros de proteção da cidade.

A gastronomia de toda a região da Costa Amalfitana é incrível, pois o solo vulcânico produz saborosas azeitonas, tomates (da encosta do Monte Vesúvio), pêssegos e limões, é claro!

Capri, o que falar de Capri!?

Embora não fique propriamente na costa, pois trata-se de uma ilha, Capri é destino obrigatório. Está a exatos 22 quilômetros de Positano e há oferta de passeios de ferry por toda a extensão da Costa Amalfitana.

Ao se aproximar da ilha, as águas adquirem uma tonalidade de azul indescritível. A vista das casas coloridas debruçadas nas montanhas, falésias e grutas compõem o cenário que, sem dúvida, é um dos mais belos do mundo.

No verão, Capri é passarela dos ricos e famosos, por isso há uma quantidade expressiva de mansões e restaurantes badalados. No comércio há sofisticação e as grifes mais famosas do mundo também estão por lá.

É ali que habitam as famosas formações rochosas Faraglioni, marco de Capri, que recepcionam os visitantes como grandes sentinelas.

Na visita à ilha não pode faltar o passeio à Gruta Azul ou Grotta Azzurra. Fascinante, quer pela perícia exigida do barqueiro para adentrar à gruta pela pequeníssima passagem, quer pela magia do local. Simplesmente indescritível.

Outro passeio imperdível é a subida de teleférico, que parte do centrinho de Anacapri até o Monte Solaro de onde se tem o melhor panorama de Capri (dá para ver a ilha inteira) e uma das mais belas vistas que você presenciará na vida. A 589 metros acima do nível do mar, daqui se tem a exata noção da transparência e da beleza da água.

Bem, o restante das surpresas vou deixar por sua conta.

A Costa Amalfitana é um verdadeiro sonho, sonho que não canso de relembrar e desejar reviver!

Boa viagem, ou melhor, Buon Viaggio!

PS: A foto que ilustra o texto foi tirada por mim!


Publicado em 13/04/2020 Autora: Patricia De Conti - Copyright ©

Conheça o site: Obstetra Curitiba
Site Desenvolvido por Águia Web - Criação de sites
Clique aqui para ter um site com qualidade e resultados!