Alguns hábitos comportamentais sempre foram questionáveis em ambientes profissionais ou fora dele, outros tomaram proporções exageradas diante das inúmeras novas ferramentas de comunicação.

Na sequencia pontuo alguns comportamentos que devem ser repensados e evitados para o bem geral da nação!  

Quem gosta de ser interrompido?

Pesquisas apontam que somos interrompidos ao menos 27 vezes por dia. Inacreditável, não é mesmo?! Imagine alguém te interrompendo 24 horas por dia.... me poupe, sem condições.

 

Se você tem o (mau) hábito de sair por aí interrompendo outras falas, cuidado, talvez os convites sociais comecem a ficar escassos!

Legal demais!

Ninguém é legal o tempo todo. Pessoas “perfeitinhas” 24 horas por dia passam a sensação de segundas intenções. Fique atento.

Dizer “não” de tempos em tempos é normal e desejável.

Perguntas em excesso.

Curiosidade é ótimo, mas chatice, não! As pessoas se sentem importantes e lisonjeadas quando indagadas. Quem não gosta de ensinar, não é mesmo?! Mas ser questionado o tempo inteiro leva à exaustão. O ideal é ter equilíbrio e bom senso. Aliás, como andam os seus?

Não perguntar nada também é estranho, passa a sensação de soberba e autossuficiência. Nada como o bom e velho “meio termo”.

Aliás, ao encontrar alguém que você conhece a família, é de bom tom perguntar como estão todos. Essa “falha” é mais comum do que vocês imaginam!!!!

Intimidade instantânea

Meu nome é Patricia. Meus dois queridos irmãos me chamam de “Patri”, direito que considero exclusivo de ambos. “Paty” é apenas para quem tem minha expressa autorização.

Fico indignada quando outro profissional me chama desta forma, não importa a área de atuação. Ambientes profissionais exigem respeito e uma distância saudável, não é espaço para intimidades.

Há, ainda, quem discorra em ambientes profissionais, sobre filhos, relacionamentos, religião, etc.... Cuidado com exposições. Ao falar demais você pode também ouvir demais!

Egocentrismo

Gabar-se, não importa o ambiente, é um hábito terrível e costuma angariar uma legião de inimigos. Guarde os seus louros para você mesmo e ponto final.

Fofoca

Fofoca sempre existiu e quanto maior sua rede de contatos, mais fofoca vai acontecer. O detalhe é que, em tempos de pandemia, as ferramentas são outras e gafes irreparáveis podem acontecer.

Pessoalmente, “pescamos” muitos sinais como olhares, trejeitos, piscadelas, tons de fala, ironias e tensão.

No ambiente virtual essas pistas não acontecem e a saída é o compartilhamento. Portanto, cuidado, o compartilhamento pode se tornar constrangimento! Fiquem atentos, também, a falas que envolvem sofrimento de grupos sociais.

Se houve o deslize, retrate-se!


Publicado em 02/07/2021 Autora: Patricia De Conti - Copyright ©

Conheça o site: Obstetra Curitiba
Site Desenvolvido por Águia Web - Criação de sites
Clique aqui para ter um site com qualidade e resultados!